terça-feira, 27 de junho de 2017

Podemos Consertar Isso!

Olá conectados!

Um amigo meu me perguntou se deveria continuar ou desistir do relacionamento. Ele estava tão cansado do jogo do amar, brigar, brigar e amar. Quando o assunto é opinar sobre a vida alheia, somos todos doutores não é mesmo?! Toca aqui, quem se identifica!


   Eu me sinto muito phd quando os problemas são dos outros. Eu até que curto bastante dar uma de psicologa dos meus amigos. Contudo, mesmo que eu creia ter a solução perfeita para os problemas que não são meus, ás vezes eu erro na ajuda. 

 Sabe por quê? Quem está fora não sente igual quem está dentro. 
 Então, eu disse a ele: Faça o que tiver que fazer para ser feliz!

  Dito isso, ele retrucou: "Mas, eu não deveria sofrer amando alguém, deveria só ser feliz".  

 [Silêncio. ]

  Incomodada, sinto necessidade de questionar esse "só" (ser feliz). Tenho visto muitas teorias sobre " ao encontrar o amor da sua vida, você nunca mais irá sofrer ou se sentir  para baixo". 

 Eu não quero entrar (não nesse post) no mérito dos relacionamentos abusivos ou aqueles em que as pessoas definitivamente não somam em nada, umas às outras. Quero falar aqui sobre esse bordão,  comercial de margarina. Em minha humilde opinião (ás vezes mais sarcástica que humilde), esse é apenas mais um clichê mentiroso. 

 Sinto muito em contestar, com muita fé no que digo. Mas, quem diz que, amor não pode fazer sofrer, está errado. Você pode amar, se formar em amor, se pós graduar;  e mesmo assim, haverá sofrimento. Felicidade são momentos. Ninguém é feliz o tempo todo. Assim como ninguém deve sofrer o tempo todo.

Já dizia Vinicius... 

"A lhe dizer que vale mais morrer de dor

Do que viver num paraíso sem amor."


 Não estou dizendo que amor é apenas sofrimento, e nem estou dizendo que amor e sofrimento estão na mesma medida para um relacionamento legal ou bom. Estou dizendo que se você decidiu amar, prepare-se também para sofrer, de vez em quando. Ou até ouso dizer: Prepare-se para sofrer MUITO em algumas fases.

 "Ai, mas eu não admito sofrer. Se for para sofrer, prefiro ficar sozinho!" Pois que fique, meu caro!  Não confia que quem ama sofre? Pergunte a qualquer mãe o que significa "padecer no paraíso"?? 

 O amor é terreno de dois. Infelizmente as pessoas acabam colocando um monte de gente para dentro do relacionamento. Quando se ama alguém, para que perguntar ao de fora, que decisão tomar? Toda a lógica é balela. O de fora deveria ser apenas um ombro para desabafo e NUNCA o juiz que sentencia.

   Amar é ter razões diferentes das do outro para justificar o amor.

 Quem ama tem liberdade para ter razões únicas para amar. Um dos principais erros do fim dos relacionamentos é basear se na opinião de fora. A relação é um terreno que cabem apenas dois. Lembram se de que eu disse lá em cima que todo mundo é doutor em resolver o problema do outro? 

 Pois é! Mas, acontece que é fácil racionalizar estando fora. But, meu Caro Whatson, em se tratando de felicidade, as decisões não podem ser baseadas apenas na racionalidade.




 Quem somos nós, sozinhos,  para saber tudo sobre o amor? 
Pouca coisa sabemos! No entanto, talvez o óbvio a gente saiba. 
O amor é diferente para todos, apesar de ser um sentimento conhecido de todos. Cada um sabe o tamanho dos espaços do coração e da falta que o outro faz. Cada um sabe o peso e o trabalho que viver a dois traz!

 Não é amar que dá trabalho. É relacionar-se que o dá. Morrem muito mais relacionamentos por falta de humor que falta de amor. Uma vez eu li, num livro, que só há um tipo de relacionamento que é impossível de salvar.  É impossível consertar apenas quando não há amor. 

 Se há amor, nós podemos consertar isso!

Como perguntou me meu amigo e já dizia Shakespeare... "Should i stay or should i go"? (Ah, ele não disse assim?)

 Se há amor, Stay! Tudo vale à pena, se te faz feliz! 

 Só que antes, vamos parar de fantasiar o conceito de felicidade.  Para ir ou ficar, cresça! Entenda, de uma vez por todas,  que a felicidade é composta de momentos!  Para consertar é preciso menos eu e mais nós. É preciso balancear. Valorizar menos o seu lado ou o meu lado, e mais o centro. 

  Para consertar um relacionamento em que há amor... Aqueles sem amor, nem perca seu tempo!  A esses, é melhor to say godbye! Se houver amor... É preciso  abrir mão do egoísmo, da criancice, das chatices, das cobranças, engolir sapo, fazer sala pra quem não gostamos, assistir a filmes chatos, ir a lugares que não estamos a fim e ceder num monte de coisinhas.

  Nenhuma casa fica de pé, se o alicerce não for bem feito. Fazer a base bem feita, dá trabalho. Conhecer, entender, aprender, pedir perdão, sofrer, ser feliz, sofrer, aprender, ser feliz, sofrer e ser feliz. Tudo isso dá trabalho! Ah, se dá! E é muito mais fácil, sair correndo. Eu sei.

 Já dizia o Fernando, "Tudo vale à pena se a alma não é pequena".   Uma alma grande é aquela que tem vontade de aprender. Porque ninguém nasceu sabendo se relacionar com o outro e nenhum relacionamento nasceu pronto.
Me desculpem aqueles que dizem que amar não traz sofrimento. O ouro é provado no fogo e volto a dizer o que sempre digo: Não existe terra prometida sem deserto. 
  
   Melhor um coração cheio de feridas, que um coração sem amor, vazio! 

Vale à pena insistir? 
Somente se for amor!







 .

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Histórias de uma Coffebooklover - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thay Atallah.
Tecnologia do Blogger.