terça-feira, 30 de maio de 2017

Livros Que Dão Vontade de Viajar - Post 01

Olá Conectados,
Viajar é realmente uma delícia. Mas, é um privilégio. Pois não é algo possível, em qualquer momento. Muitas vezes gostaríamos de sair correndo por aí, mas não temos tempo, grana, ou disponibilidade. 
Nesses momentos nada melhor do que viajar sem sair do lugar. Alguns livros conseguem nos dar aquele gostinho maravilhoso que viagens trazem. Se rolar uma chuvinha e pipoca, melhor ainda!
Quero compartilhar com vocês alguns livros que me levaram a lugares maravilhosos, sem sair do lugar. Minha programação quando estou louca para IR e não posso, é passar na livraria, pegar um cobertor, preparar um café e viajar! =)
Citarei alguns livros aqui, mas eles não estão em ordem hierárquica, de mais legal para menos legal ou vice versa. Vou citando os e vocês escolhem se devem  ou não entrar para sua wish list.

De Moto Pela América do Sul - Che Guevara (América do Sul)
Esse livro foi um dos que mais me inspirou a querer mochilar, e pela América do Sul. É uma espécie de diário da viagem feita por Che e seu amigo Alberto Granado, quando ele ainda era estudante de medicina. Che conseguiu relatar uma intensa jornada, desde a Argentina até a Venezuela, através de suas anotações. Apesar de vivido no ano de 1952, as cartas, o roteiro, anotações, mapas e fotos tiradas pelo próprio Che nos inspiram a sonhar por andanças pela América do Sul. O livro inspirou o filme de Walter Salles, com Gael Garcia Bernal no papel de Ernesto em  "Os Diários da Motocicleta".

 É preciso deixar claro que o livro não é sobre o Che em si, revolucionário, amigo de Fidel, e tão conhecido mundialmente. Esse não é o foco da obra. Esse livro é sobre a inquietude de um jovem que deixa toda a tranquilidade de sua vida estruturada para viver uma grande experiência humana.




 Essa é a história da aventura de viagem do Ernesto,(antes de ser o "Che"), um jovem inquieto, que abandona tudo e sai na companhia de um amigo, bioquímico, para viajar pela América do Sul. Os dois percorrem muita coisa e vivem muitas coisas legais. Nessa viagem, entre tantas experiências,  passam um tempo no Peru cuidando de pacientes com lepra.
 São tantos acontecimentos durante a viagem, que o livro até parece uma grande ficção. Porém, não é! Há vários tipos de dificuldades. É moto que quebra, encontrar lugares para dormir, comer, imprevistos, falta de dinheiro, pessoas estranhas, paisagens inacreditáveis e tudo o mais que pode envolver uma viagem como essa. 
Existem os cenários descritos, deslumbrantes, reflexões sobre a situação da América do Sul, trechos de muita compaixão e há uma grande busca sobre a vocação. A  forma como Che escreve é apaixonante.
Memórias de Uma Gueixa - Arthur Golden (Kyoto - Japão)

Esse livro toca quem o lê. Nada é unanime, mas eu creio que seja impossível não ser seduzido pela história. Já li ou ouvi criticas a esse livro por ter sido escrito por um autor, homem e americano. Dizem que as emoções da personagem são passadas de forma superficial, já que ele não é mulher e nem japonesa.  Eu discordo! Eu o acho tocante e de uma sensibilidade enorme.  O livro narra a vida de Sayuri, uma gueixa, em Kyoto no Japao, no período antes e durante a segunda guerra mundial. 

Toda história é desenvolvida conectada a ao cenário de Kyoto e da cultura japonesa.  É uma grande viagem a lugares incríveis e totalmente peculiares. Contudo, é  impossível não se envolver com a história, com os dramas, sentimentos e sensações que a personagem traz. 
O livro é rico em detalhes de um Japão "meio que" secreto aos ocidentais.  O texto também envolve romance, sensualidade, uma série de tramas e, uma grande viagem à parte da cultura japonesa. Certamente você terá vontade de conhecer Kyoto, principalmente o distrito de Gion, com sua arquitetura, casas de chá, monumentos, estatuas e todos os detalhes ricamente descritos no livro.
Um amor, Um Café e Nova York - Augusto Alvarenga


 Esse é um daqueles romances gostosinhos e fáceis de ler. O livro é fofo e as ilustrações também são uma graça. E de plus você ganha um super roteiro muito bem descrito da cidade de Nova York. 
 Viajar no feriado para Nova York é tudo de bom, concordam? Imagine, sem o cansaço de aeroportos, alfandega, malas e etc. Brincadeiras a parte, mas esse livro é uma super indicação para ser lido em apenas um feriado. NY é simplesmente um destino delicioso para se construir no imaginário até pelas referências que todo mundo já traz dos filmes e tudo que já se viu em termos de entretenimento.
 Nesse livro, a personagem principal, Camila, sempre sonhou em viver um amor desses de cinema. Quem Nunca?!
 Ela vive esse grande amor e ainda faz uma viagem incrível, de 1 mês, a cidade mais cosmopolita do mundo. Obviamente que o livro também traz toda uma historia gostosa de ler e com esse cenário: a cidade que nunca dorme.  E para subir mais uma estrelinha no quesito fofurices, esse livro é todo embalado por trilha sonora, o que torna a história ainda mais gostosa de ser lida. 

Cem dias entre céu e mar'- Amyr Klink


 Esse livro é um relato da travessia de Amyr Klink, sozinho, a bordo de um barco a remo, desde o sul da África até o litoral baiano. Essa jornada de mais de 6 mil quilômetros dá vida a narrativa de viagem fantástica em pleno oceano.  
 Amyr Klink tem uma linguagem tão real e simples que nos coloca facilmente junto a ele no barco. Ora nos deparamos sentindo suas excitações com a beleza e riqueza da natureza. E ora nos desesperamos com suas lutas, esgotamento e temores. 
 Klink fala sobre a sua relação com a natureza, a interação com a mesma durante esses 100 dias e sobre a solidão sentida. Cem Dias além de ser uma aventura real incrível, mostra como somos pequenos em relação à natureza que nos cerca. E nessa vibe é um aprendizado de como se relacionar da melhor maneira possível com a mãe natureza.

A Culpa é das Estrelas - John  Green


Esse  não é o melhor livro do genial e fofo John Green, em minha opinião.Mas, também não é o meu tipo de literatura preferida, admito! Devo dizer também que fiquei até bem desconfiada antes de lê-lo, apesar de me sentir na obrigação de conhecer a história. 

 Eu pensei que não apreciaria por não gostar de romances tristes e que denunciam finais meio óbvios. Mas, eu estava enganada de que não iria gostar. A História é uma graça e para deleite o livro nos conta a viagem dos personagens à Amsterdã, na Holanda. Creio que gostei muito mais da Holanda do que da história, rsss. Mas, John descreve tão bem essa estada em Amsterdã e as personagens são tão fofas, com tantos detalhes e magia daqueles canais, que certamente dá vontade de viajar junto.  

 Comer, Rezar e Amar - Elizabeth Gilbert (Itália, Índia e Indonésia)


 Esse best seller dispensa apresentações. Se você não leu provavelmente assistiu ou ouviu falar do filme. A autora relata sua experiência de 1 ano viajando por lugares como Itália, Índia e Indonésia, num período pós divorcio. No entanto, se você não conhece a história, se não leu e não assistiu... Leia o livro! O Livro é uma viagem muito mais fantástica que o filme. 

Esse é um livro divertido, envolvente, tocante e fácil de ler. Essa mudança de cenários faz a trama ficar mais interessante e a descrição dos lugares é apaixonante. É uma história sobre a busca das novas experiencias, que envolvem: novas comidas, aprender um novo idioma, a busca pela  paz,  cura e  amor.
;)
Por hoje é só, queridos conectados. Sempre existe muito mais assunto para dividirmos, porém eles não cabem em um único post. O que é uma deliciosa desculpa para voltar amanhã ou depois. Beijosss, boa leitura e boa viagem!
Ah, não deixem de falar comigo aqui ou nas redes sociais, no @gui_margutti

Até a próxima! Beijos


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes, a edição mais linda de 2017.

Olá Conectados,

 Hoje vim compartilhar com vocês um pouquinho dessa edição maravilhosa de viver!!!




 Desde que vi esse livro pela primeira vez e foi no canal da Melina Souza (amo a Mel), fiquei encantada com a proposta.




 Esse livro traz 100 fábulas (historinhas fofinhas) de mulheres extraordinárias que realmente existiram na história do mundo.

A edição é linda e vem toda ilustrada por mais de 60 artistas espalhados por aí, no globinho. As fábulas são pequenas e não conseguem dar muitos detalhes, da vida das mulheres, pois ocupam apenas uma página. 



 Mas, servem para lançar uma sementinha em nosso coração. Eu lia e corria para a internet para pesquisar mais sobre essas mulheres. Há mulheres muito conhecidas, outras nem tanto. Mas, todas tiveram alguma contribuição grandiosa.  Infelizmente, algumas nem souberam de sua força e de sua importância, enquanto vivas.
  


 Ele tem uma pegada mais infantil na forma de narrar as pequenas historias. A maioria delas começa com um "Era uma vez", porém não é um livro apenas para crianças. É um livro para todos.

 Super recomendo essa leitura e essa compra. Uma da edições e propostas mais fofas de 2107. Postei minha opinião sobre ele em vídeo, e deixarei aqui na categoria vídeos também.

 Esse é daqueles que todo mundo precisa ter ao lado da cama. Não só pela beleza dessa edição, que está incrível; mas pela inspiração que é saber da contribuição de todas essas 100 mulheres, mesmo com vidas, na maioria das vezes, dificílimas.


Abaixo deixarei o vídeo para que vocês possam ver um pouco mais da edição.

Ah, e se quiserem fazer um ótima compra dessa obra, basta clicar aqui. ;) Você também ajuda ao blog e ao canal! 



domingo, 28 de maio de 2017

Amor Segundo Buenos Aires, o livro de Fernando Scheller.

 Creio que esse seja um livro que muita gente quis ou queira ler, pelo título maravilhoso, que une Amor e Buenos Aires. Esses dois ingredientes parecem a mistura perfeita para um livro já ser, no mínimo, interessante. E esse livro é muito mais.



  Eu sou apaixonada por Buenos Aires, então foi meio obvio que eu o comprasse, assim que soube de sua existência. Devo confessar que apesar de empolgadíssima, tive um certo receio que esse fosse apenas mais um livro, água com açúcar, com um super título. Já que esse é o primeiro romance de ficção do autor brasileiro Fernando Scheller, que é jornalista do jornal O Estado de S. Paulo e que já passou por diversos outros. 

A descrição no site da editora dizia que  "Com largas avenidas, cafés em estilo europeu e bairros charmosamente decadentes, Buenos Aires é o lugar perfeito para histórias de amor inesquecíveis. A capital argentina é cenário e, ao mesmo tempo, personagem do primeiro romance de Fernando Scheller... Em O amor segundo Buenos Aires, Scheller oferece a cada personagem a chance de narrar suas escolhas e percepções sobre diferentes formas de amor, como entre pai e filho, um homem e uma mulher, dois homens e também entre amigos."


Dessa forma, tomemos o exemplo do primeiro capítulo. Temos, Leonor segundo Hugo. Hugo descreve que foi por amor que ele, personagem principal, deixou o Brasil rumo à capital argentina. Embora o relacionamento com Leonor não tenha sobrevivido, ao longo do livro, e isso não é spoiler porque consta na descrição do livro; a relação de encanto e fascínio pela cidade resiste à dor da separação e à descoberta de que ele sofre de uma grave doença. (Também não é spoiler, eu juro!)

A narrativa é adorável. A prosa de Fernando Scheller é muito envolvente e democrática. Praticamente todos os personagens possuem sua voz no livro e opinam sobre os outros personagens. A estrutura é mais ou menos a seguinte: Fulano segundo Beltrano. E é aí que conhecemos um pouco mais da vida do Beltrano. E quando ele descreve sobre Fulano, nos dá pistas que serão confirmadas, ou  não, no capítulo seguinte. Quando Fulano terá a sua voz no livro. (Será que deu para entender? rss) (Eu mesma precisei reler esse parágrafo para confirmar o que escrevi.)


Hugo desenvolve uma das amizades mais doces,  que eu já vi em tudo que já li de literatura contemporânea, com  o arquiteto Eduardo e com a comissária de bordo Carolina. Essa relação de amizade vai evidenciar o poder regenerador das amizades verdadeiras.  O livro também enfatiza a relação de Hugo com o pai e a relação mais complicada com a mãe. Seu pai, Pedro, acaba trocando a rotina de um casamento desgastado por uma vida totalmente diferente, mas cercada de sentimentos singelos, doces e grandes afetos. Cada personagem tem a oportunidade de contar a sua versão dos fatos, numa trama absolutamente democrática. Não me recordo onde li ou se ouvi, algo em que diziam, que é impossível não se encantar com a presença de espírito e o senso de humor de Carolina, a lealdade de Eduardo, a maturidade e a determinação de Daniel, o jeito peculiar de Charlotte. Em comum, esses personagens adoráveis têm uma enorme capacidade de amar.

As relações de amizade, os relacionamentos afetivos, as diferentes formas de amor, os diferentes erros, as complicações próprias do amor e a complexidade do ser humano ao se relacionar são abordadas de forma sensível e real, nesse romance. Talvez um dos pontos mais tocantes seja que as histórias aqui são histórias possíveis, e os seres humanos aqui, são mostrados com seus fracassos, temores, tristezas, alegrias, mas principalmente com as suas capacidades de resiliência e amar novamente. A relação familiar com seus dramas e angustias reais como na maioria das família reais, são um plus à parte. Eu gosto muito de livros que fogem do comercial de margarina e daquela coisa inacessível.  Com toda essa boa mistura para um romance temos ainda a capital Portenha, descrita com toda propriedade de quem conhece bem os lugares. Cada inicio de capítulo é apresentado com uma mapa mostrando lugares  peculiares de quem tem mesmo uma relação com Buenos Aires.


Quem já conhece e gosta de BsAs terá vontade de sair correndo para lá. Quem não conhece também terá vontade de conhecê-la.  A decadência de algumas partes, e contraditoriamente a capacidade de se manter em pé, da capital, também são constantemente insinuadas de uma forma tocante ao coração. Daquele jeito que te dá uma dorzinha de pena, mas ao mesmo tempo uma admiração porque Buenos é f...  E Ela se mantem de pé, linda, receptiva e encantadora. O final do livro, o último capitulo, foi um plus. Bem encantador e original. Adorei o desfecho e deu aquele ar de terceira opinião, ou conclusão. Como se um segundo leitor ou observador dividisse a opinião dele sobre tudo que se passou, conosco.O livro é muito bacana e eu super recomendo. ;)


 
© Café da Alice - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thay Atallah.
Tecnologia do Blogger.