quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Desculpe o Transtorno. Vocês Dois e o Resto Do Mundo... Estão Certos!

  Olá Conectados!

 Ontem me bateu uma melancolia. Resolvi ler os dois textos tão comentados, do Gregório Duvivier e do Rafinha Bastos. Comecei pelo comovente texto do Gregório e depois li o texto engraçado do Rafinha. Você já deve saber que se tratam de visões diferentes sobre o amor e que ambos dizem o que é "Amar de Verdade".
  


 Para completar minha vibe Bridget Jones, eu estava ouvindo o "SomeWhere We Only Know" da banda inglesa, rock melancólica, Keane. Adorooo! Aliás, até sugiro que você leia a essa postagem clicando no play abaixo. Coloca aí, bem baixinho, o som e deixe se levar!



  Nas redes sociais todo mundo é doutor no amor. A internet está cheia de #AmarÉ. As definições vem acompanhadas de fotos apaixonadas, textos gigantescos, milhões de hashtags e emoticons fofos. 

 Quando alguém comum, das nossas relações, escreve textos sobre amor, eles não causam reboliço, nem bombam no Twitter. Se for começo de namoro, causa até uma risadinha maliciosa de #vergonhaalheia. 

  A gente tende a não considerar a opinião de uma pessoa comum sobre o amor.  A gente gosta é de "famoso" dizendo o que é amar. Marta Medeiros, os textos do Gregório, Rafinha, Bob Marley, Shakespeare, Napoleão?  Do Pedro Bial, então?! Ah, esse a gente gosta. Afinal, o Pedro entende muito de amor! 

 No entanto, o que faz de alguém doutor no Amor? Eu fiquei pensando sobre isso. E, em minha humilde opinião (às vezes, nem tão humilde assim), o que faz de alguém doutor no amor é amar. Essa deveria ser a única exigência para que alguém fale de amor. 

 Amar é tão comum, tão conhecido e todo mundo já amou. Sofrer por amor é mais comum ainda. Amor e sofrimento caminham meio que lado a lado. Mas, a gente busca mil razões para entender ou para justificar o amor.


  O interessante é que você pode amar, se formar em amor, se pós graduar;  e mesmo assim, não terá garantias de felicidade eterna. Isso porque tudo depende da perspectiva.

  O amor é terreno de dois, ou mais. Quando envolve mais alguém, toda a lógica é balela. Apesar do amor ser vivido com outro, o coração é lugar só seu. E esse lugar pode muitos espaços. Tem o Gregório que é feliz apenas pela chance de ter vivido um grande amor. Tem o Rafinha que diz que que amar é ficar feliz quando se chega em casa e o outro está lá. 

 Amar é ter razões diferentes das do outro para justificar o amor.

  Quem ama tem liberdade para ter razões únicas para amar. Há aquele cara que é louco pela namorada, mas tem aquele espacinho no coração que, vez ou outra, pensa com ressentimento naquela garota que passou pela sua vida. Mas, ama sua namorada.




 Também conheço aquela mulher que já fez a vida, é feliz no relacionamento atual, mas ainda é atormentada pelo "se" daquele vazio que carrega no coração, por um cara que a magoou. Porém, ama quem hoje ela tem do lado. 

 Já, uma outra amiga não consegue amar mais que 3 meses, porque ninguém é igual a um ex perfeito que a dispensou, partindo o coração dela.

 Peculiar é meu amigo que está num triângulo amoroso e me diz: "Eu vou casar com uma, mas eu amo mais a que vou deixar. Passarão 20 anos e eu ainda a amarei. " Eu até disse que aquilo era uma grande besteira. "Se você ama alguém, como pode casar com a outra?" Ele me disse convictamente que existem vários tipos de amor. 

 Quem sou eu para saber tudo sobre o amor? 
 Talvez umas poucas coisas eu saiba. O amor é diferente para todos, apesar de ser um sentimento conhecido de todos. Cada um sabe o tamanho dos espaços do coração. 

 Por que eu estou dizendo tudo isso? Porque eu quero que você saiba que vale à pena. Sei lá, talvez você não tenha caído aqui, por acaso, ou talvez você só esteja lendo porque é muito meu amigo. Como postou um amigo, essa semana, já dizia Shakespeare... "Should i stay or should i go"? Rsss

 Stay! Tudo vale à pena, se te faz feliz! 
 Pode passar vergonha no facebook postando fotos com legendas melosas, porque significa que a sua alma não é pequena. Pode dizer que encontrou seu príncipe encantado, mesmo que depois você descubra que a armadura do príncipe era só papel alumínio. Pode ser você quem se humilha e pede para voltar. Pode gostar de ficar em casa com alguém enquanto todo mundo está na balada. Pode brigar pelo lençol, ficar puto porque o outro não atende ao celular e ficar de boa depois, porque estão juntos.  Pode sim, ficar com a pessoa errada porque para você ela é a pessoa certa. Vale à pena lutar um pouco mais. 

 Melhor um coração cheio de feridas, que um coração vazio! 
Amar é essa vontade inexplicável e nada lógica de amar aquela pessoa. Se for racional demais não é amor, é apenas conveniente!

 Bom mesmo é sentir atração por outras pessoas e mesmo assim sentir muita atração por quem está ao seu lado. Legal é se encantar por pessoas novas, lá fora, e ser surpreendido novamente por quem está perto de ti.

 Não importa se terá risoto bem sucedido ou fracassado. Se vocês escreverão roteiros juntos, realizarão grandes projetos, se terão um filho ou se apenas assistirão às séries do netflix. Bom mesmo é se sentir parte de alguém.

  Importa é sentir que o mundo tem muito menos graça, longe de quem ama, e que todas as músicas tem muito mais sentido quando você pensa em alguém. Motivador é acreditar que é amor e que é do fundo do coração. As forminhas, regrinhas e padrões são chatos. Além disso, eles não vestem legal em todo mundo. 

 Gostoso é acreditar verdadeiramente que aquela pessoa é seu número. Sensacional é ter medo de perder, porque pensa que não suportaria a ausência. Incrível é ter alguém que te traga paz; ou revire a sua vida de ponta cabeça. Mas, que no final das contas você sinta: Era disso que eu precisava! 

 Gostoso é iludir-se que as suas justificativas para aquela tag #amaré, são muito mais verdadeiras que as de todo mundo. 




 .

4 comentários:

  1. Irônica, honesta, direta e sensível como sempre. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. ❤ Muito bom o texto amiga, claramente se vê que é musa inspiradora do Marcelo! Rsrsrrsrs...
    E quanto ao amor... Háaaa estou amando amar. E melhor amar e ser amada, daquele nosso jeitinho... 😍

    ResponderExcluir
  3. Que texto ótimo Gui! Parabéns, gostei muito!
    O amor é algo inexplicável que só quem realmente ama pode explicar. Eu amo ser amada e amo amar tbm!
    "O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta." (1 Coríntios 13:4-7)

    ResponderExcluir
  4. EXCELENTE AMIGA!!!!!!!!!!!!! você escreve com muita propriedade!!!!! parabéns!!!!

    ResponderExcluir

 
© Café da Alice - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thay Atallah.
Tecnologia do Blogger.