quarta-feira, 25 de maio de 2016

Dia do Orgulho NERD. Feliz Dia da Toalha!

Olá Conectados!

Hoje é dia do Orgulho Nerd, ou melhor, Dia da Toalha.

Se você não está entendendo nada sobre esse "tal dia" e sobre essas hashtags que estão rolando na net, provavelmente você não tenha lido ou assistido ao filme, O Guia do Mochileiro das Galáxias.

Esse frenesi todo no mundo Geek é por causa desse livro, de Douglas Adams, O Guia do Mochileiro das Galáxias. Eu confesso que só li o primeiro exemplar e na época, apesar de eu ter dado muita risada, nada fez muito sentido para mim.



Depois, acabei descobrindo que o barato dessa leitura é, realmente, a mistura de entretenimento e das boas gargalhadas que o livro arranca.  Há todo um dicionário peculiar, muito engraçado, que só os "mochileiros" reconhecem.

O guia do mochileiro das galáxias' conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T.  Esse, vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do mochileiro das galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário.

Para que vocês entendam melhor essas referencias ligadas ao dia da toalha, deixo aqui um vídeo do Geek Freak, sensacional.

Feliz Dia da Toalha! Feliz Dia do Orgulho Nerd! =D


sexta-feira, 20 de maio de 2016

Livro O Café dos Anjos de Max Lucado . (Impressões) 5 Motivos Para Ler

Olá Conectados,

O livro que, hoje, vamos conversar é um livro que já ganharia, no mínimo, minha atenção somente pela capa e título. O Café Dos Anjos é o primeiro livro que li do Max Lucado e é também o primeiro com café no título.



 Eu nunca havia lido nenhuma ficção, nessa pegada meio de fé, onde Deus faz parte diretamente da história. Esse livro me surpreendeu positivamente de várias formas e foi uma experiência muito legal.

  Dessa forma, fiz um vídeo para mostrar para vocês os 5 motivos pelos quais eu recomendo essa leitura.

Espero que gostem, assistam ao vídeo, leiam e me contem aí o que acharam!
Bom final de semana!




segunda-feira, 16 de maio de 2016

Impressões sobre o livro O Orfanato da Senhorita Peregrine (5 Razões)

 Olá Conectados!

 Eu gosto muito de indicar livros divertidos, porque sempre penso que esse tipo de livro pode agradar tanto Leitores em Processo (grau 2), como Leitores mais Fluentes (grau 3).



 O Orfanato da Senhorita Peregrine para Crianças Peculiares,  de 
Ransom Riggs, é um desses livros que exige pouco de nós, mas que desperta muita curiosidade durante toda a leitura. 


 Tanto o título como o projeto gráfico são muito interessantes, já que o leitor, no primeiro momento, não é capaz de definir se a obra corresponde à ficção ou terror. Eu postei no youtube um vídeo indicando 5 motivos para que você leia esse livro.

 Você pode assisti-lo aqui, clicando aqui, no link que leva ao youtube, ou  aqui no final da postagem.

 Um pouco sobre o enredo...



 
 O livro conta a história de Jacob, um adolescente de 16 anos, chato pacas, que vive de mi mi mi e reclamando da vida. Nas primeiras páginas, eu quase desisti da leitura porque o personagem principal não estava me agradando.

 Porém, apesar da chatice de Jacob, ele é muito ligado ao avô que sempre gostou de contar histórias sobre sua infância. E essas histórias são bem curiosas e dão aquele Up  para que a leitura se torne encantadora . Por ter sido um menino órfão e refugiado judeu de guerra, o avô cresceu em um orfanato, numa ilha remota do País de Gales. 

 Jacob sempre ouviu de seu avô histórias fantásticas sobre esse lar. As crianças que moravam ali seriam peculiares ( teriam poderes) e o orfanato seria supostamente protegido por uma Ave.  Por aí o leitor já pode ter uma ideia de que tipo de ficção encontrará para frente.

  O adolescente , na companhia do pai, acabará indo visitar a pequena cidade onde existiu esse orfanato. Será justamente aí que a aventura começará no livro. A fim de descobrir pistas sobre a veracidade dos fatos relatados pelo avô, Jacob embarcará numa incrível jornada por respostas.

 Essa é uma história, divertida, cheia de aventura, com uma narrativa bem sedutora e que mostrará uma agradável evolução no comportamento e personalidade do personagem central.



 Esse é um romance que mistura ficção e fotografia, o que torna tudo mais legal, ao menos para mim, já que consigo visualizar as peculiaridades citadas. Outra coisa bastante positiva que vejo nessa leitura é que não é uma fantasia do tipo too much, do tipo mega super poderes. Entendem? 

  No próprio livro essas peculiaridades não são chamadas de super poderes e é bem normal nos pegarmos pensando: "Ah, ok! Esse poder seria possível"...

 Eu recomendo essa leitura para quem quer se divertir lendo. Ela cumpre o que promete,  tanto a leitores em progresso como a leitores mais fluentes; não pelo texto em si, mas pela premissa da história.  Se você quiser saber meus 5 motivos para ler esse livro, eles estão no vídeo abaixo. =)
  




Contem me aí nos comentários o que vocês acharam desse livro! =D

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Pés para trás, porque assim você não cai!

Olá Conectados,

 O que quero compartilhar com vocês hoje é diferente de tudo que já compartilhei aqui no blog.

 A minha ultima semana teve uma grande carga de stress. Eu sabia que meditar ou rezar era necessario, especialmente naquele momento. Mas, eu não conseguia. Justamente por estar tão mergulhada em ansiedade, ocupações e preocupações. 




 Para tentar relaxar dei uma passeada nas fotos do meu facebook e encontrei essa de 2013, com um desabafo que havia compartilhado na legenda. A postagem era sobre um sonho bem peculiar que tive. O Sonho foi tão real, que acabei contando-o a diversos amigos, ao padre e a um amigo pastor. Vez ou outra esse sonho volta à minha mente.

 

 Eu tive um sonho muito estranho.

 Eu estava fazendo uma espécie de viagem de carro, com pessoas que não me queriam bem. Porém, no sonho, uma parte de mim sabia que elas não morriam de amores por mim, e outra parte parecia acreditar que eu era querida e bem recebida por essas pessoas. 


 Era uma sensação tão estranha. Parecia haver ali uma espécie de consciência, separada do corpo, assistindo àquela parte de mim que estava dentro do carro.

 Eu estava no carro delas indo para algum lugar qualquer, não sei dizer exatamente onde,  mas íamos conversando, rindo e felizes da vida.

 Chegamos no lugar que parecia ser o local correto da viagem. Apesar de eu não ter a menor ideia de onde estava, não me preocupei. Eu me sentia segura ali com eles. O motorista estacionou numa rua bonita e logo vieram uns caras até o carro. Ele falou baixo para dar orientações, pela janela do carro, a dois sujeitos bem mal encarados. 


 Não conseguia compreender direito o que ele estava ordenando, porque a pessoa do carona me distraía conversando sobre algo e sorrindo. No entanto, consegui perceber que eles haviam "encomendado" que esses homens fizessem mal a alguém. 

 Eu fiquei chocada, com medo, confusa e sem voz, para perguntar o porquê.

 Eles perceberam, mas não se importaram. Diziam coisas para sustentar que seria normal "destruir essa pessoa". Diziam coisas ruins sobre ela, como se qualquer um fosse concordar com eles. Eles pareciam tão certos. Eram tão gentis, não falavam em tom agressivo e não pareciam malvados. Estavam tranquilos, serenos e amorosos. 


 Assim, ficaram falando comigo, dentro do carro e aguardando notícias se as pessoas de fora, tinham ou não, concluído o tal serviço. O estranho é que eu via tudo, estava ali, mas não conseguia me expressar e nem mexer nada no meu corpo. Como se meu cérebro não me obedecesse.


 Fui tomada por uma angustia, um mal estar, uma sensação de voz presa. Eu não sabia o que iria acontecer com a tal pessoa e nem quem era ela. Eu queria ir embora. Mas,  não conseguia sair e nem conseguia falar. Era como se tudo em mim estivesse anestesiado. Menos a minha consciência que via tudo claramente.

 De repente chegou um cara grandão na janela do carro e disse:


- Olha, a gente não vai fazer nada com ela não!

 O motorista surpreso e irritado, gritou: - Como não vão fazer nada com ela?!?!? Eu mandei acabar com ela.


 E o homem fora do carro disse:  - Eu não vou mexer com aquela mulher não, de jeito nenhum! Porque aqui a gente não mexe com mulher de pés pra trás!

 Acordei no mesmo instante, ofegante e me sentindo super mal. Eu fiquei completamente confusa. Não entendi porque eu estava viajando sozinha com aquelas pessoas,  no carro delas. Não entendi o que eles queriam fazer com essa tal mulher e, muito menos entendi que maluquice era aquilo de mulher com pés para trás.  


 Fiquei vários dias angustiada e pensando nesse sonho. Aquela mulher representava a mim ou alguém que eu conhecia? 

 "Será que é um tipo de deformidade, anomalia, monstruosidade?! " Fiquei imaginando a mulher andando toda troncha com os pés para trás. Fiquei imaginando até cenas de filme de terror com essa mulher com os pés para trás.

 Após algum tempo, eu me esqueci do sonho!

 Acontece que os dias tristes aparecem e a gente acaba tendo vários pensamentos de filme de horror. Eu sei muito bem que o que pensamos sobre nós mesmos é fundamental para enfrentar situações de tristeza e decepções. Porém, eu estava passando por uma situação onde a força (que eu pensava ter) havia ido pelo ralo.


 Estava me sentindo pequena, para baixo e até me achando merecedora da tristeza. Como se os outros valessem muito mais que eu. Afinal, há gente muito mais forte, mais bonita, mais inteligente e melhor que eu, em várias coisas! 

 Eu tenho consciência que esse pensamento é destrutivo e mesmo assim estava para baixo. Por que? Por que eu estava deixando que pessoas pudessem entrar na minha cabeça, no meu coração e fazer com que eu me sentisse tão para baixo? Comecei a repetir um mantra: Deus, eu preciso de ajuda! Deus, eu preciso de ajuda... Deus eu preciso... Quando percebi já estava rezando. 

 Eu sei do poder da oração. Mas, ás vezes é dificil encontrar ânimo para orar. Ás vezes, as pessoas nos rejeitam tanto, nos humilham ou nos colocam num lugar tão para baixo, que começamos a acreditar no que elas dizem. Acreditar que não servimos, que não valemos nada e que somos menos que eles.


 Eu creio que a oração é a conexão direta com a inteligência infinita que é Deus. Não importa se você crê em Deus ou não. Se você ora somente na forma de meditação ou conversa consigo mesmo para tentar refletir e encontrar soluções. Para mim, tanto faz. 
 Eu oro para Deus, mas Deus mora em mim. Você pode orar para sua consciência e, para mim,  será a mesma coisa. Porque Deus habita em você. 

 Então, estava eu conversando com Deus, meditando, orando, rezando, da maneira mais simples que eu poderia estar, e eu me vi ajoelhada.

 Ajoelhada... COM OS PÉS PARA TRÁS.

 Eu me lembrei, na exata hora, daquele sonho. "Aqui a gente não mexe com mulher de pés pra trás, de jeito nenhum!

 Obviamente, que me esqueço muitas vezes do poder da oração, do meu valor e do amor de Deus por mim. Naquele instante, eu chorei muito.

 Chorei por perceber que realmente existe quem queira o nosso mal, mesmo que às vezes de forma disfarçada. Contudo, chorei por me lembrar de que há um Deus que já nos fez plenos e programados para pensar coisas boas sobre nós. O meu sonho foi claro e profético, para mim: Não há quem possa derrubar a pessoa que ora!

 A oração é algo mágico que acontece dentro da gente. Do ponto de vista da fé é tremenda. Eu creio em Deus. Mas, se você não crê em Deus, encare como mecânica quântica. A física quântica diz que alguns minutos de oração, com fé (crendo), emanam uma energia capaz de revigorar aquele corpo que ora. Ou seja, a oração te coloca em pé novamente. Te levanta para a batalha.

 Por isso não se esqueça daquilo que, às vezes, eu me esqueço. Quem se ajoelha, não cai. Mesmo que tudo queira derrubar seu ânimo, você ficará de pé!


 Ore para preservar o seu interior. Não se esqueça disso:

 Nem toda a água do oceano pode afundar um navio, a menos que ela invada seu interior.

Deus abençoe você!
 
© Café da Alice - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thay Atallah.
Tecnologia do Blogger.