terça-feira, 12 de janeiro de 2016

O Humor Salva o Amor! Quem quer se relacionar precisa ter bom ânimo.

Olá Conectados,
 Terminei agorinha de ler o livro “Aluga-se para Temporada” da Mary Kay Andrews. Ler sempre me faz refletir sobre as pessoas e relacionamentos. Se você quiser saber sobre esse livro, clique aqui no meu instagram. Lá, contei mais sobre ele, para alegria, ou não, dos booklovers que me seguem.  Como esse livro é um Chick-Lit (Romance de Mulherzinha <3), sai dele cheia de pensamentos e corri para o blog. =D

Foto - Reprodução - Instagram da Gui

 Estive pensando em como é difícil manter os relacionamentos. Com o passar dos anos aprendi uma grande lição. Resumi a lição em frase para carregar no bolso e usá-la em praticamente todas as conversas sobre como melhorar o relacionamento.

 A minha maior descoberta nessa área (absolutamente verdadeira) foi que: Não é o amor quem salva o relacionamento, é o modo de se relacionar que salva o amor. Isso é tão real e tão profundo que deveria estar escrito na geladeira, no espelho do banheiro, na agenda, no volante, na testa... Enfim, em todos os lugares, para que nunca nos esqueçamos. 

  Percebi que as relações terminam muito mais por falta de humor do que de amor. O Humor salva o Amor. Sempre digo que a pior coisa que pode existir na convivência com outro ser humano é estar com quem é mal humorado ou vive emburrado. Gente que não se esforça para tornar o clima leve ou gostoso, sabe? Deuzulivre isso!! 

 Na vida a 2, a coisa começa a desandar no momento em que um para de sorrir para o outro. Quando um dos dois passa os dias com cara de quem  comeu algo estragado ou permanece sempre em silêncio, está ligando o botão do modo “indo pro ralo”. Não importa quem vai ser sugado ou afundar primeiro, é só questão de tempo. Se não tem humor, não sobrevive.
Filme Amor e Outras Drogas - Comédia Romântica Preferida da Gui, ever!

 De forma simples (claro que não etimologicamente falando) o bom humor é ter ânimo, disposição, empatia ou bondade com quem está do nosso lado. O outro não merece nossa grosseria, estupidez ou chatice só porque estamos com problemas. 

 Todo mundo está!  Todos estão sempre com algum problema a todo momento. Everybody needs something, Baby!! Precisamos ter nosso tempo de ficar sozinhos, quietos ou mesmo de não conseguir rir. Isso é perfeitamente normal. Ás vezes o problema é um problemão, uma coisa horrível que nos aconteceu. Mas, o outro não precisa ser saco de pancadas.

 Porém, não estou me referindo a momentos extremamente horríveis. Estou falando da vida diária, da rotina, que afasta as pessoas simplesmente por trazer aquela maldita segurança ou zona de conforto. Estamos acostumado com aquele lugar, com aquela pessoa e aquela situação. Não precisamos nos esforçar, sabe? Nãooo! Precisamos sempre nos esforçar.

 A rotina pode fazer com que se enxergue quem realmente está do nosso lado e nos fazer cair fora. Aleluia!!  Só que na maioria das vezes ela nos engana e nos faz esquecer o quão maravilhoso é aquela pessoa que está ao nosso lado.  A vida real, quando colocada no modo automático, pode ser bem maldosa e entediante.

  Não podemos entrar no automático, nunca. É difícil, eu sei. Por isso estamos conversando sobre isso aqui nesse blog, nesse texto, justamente porque não queremos viver sem atenção aos detalhes. Estamos sempre procurando formas de melhorar ou aprender algo.


 A rotina é a Rainha Má dos contos de vida real, eu sei. Mas, existe uma força capaz de vencê-la e ela se chama: Bom Humor. Muitas vezes perdemos o humor por nada e, sem perceber, ligamos o botão do escoamento. Ficamos tentando justificar nossa cara de “comi e não gostei” com desculpas esfarrapadas. Dizemos que estamos assim porque blá blá blá blá...



 OMG!! Dá pra parar de ser ingrato?? Você  e eu ficamos reclamando sem parar e exibindo a cara de “minha vida é um tédio e tudo me irrita” a quem está do lado. O outro não merece isso. É preciso encontrar o bom humor na gratidão, em Deus, nos livros, nos filmes, músicas... não importa. Mas, é preciso alimentar o bom humor. Mas, só para quem quiser se relacionar. Se for viver sozinho numa ilha, tacá-le pau no modo “odeio ser legal”.

  Quem sabe, ao invés de soltar um “mega coice” ousássemos dizer: “Eu não estou bem, hoje, vai passar, mas quero ficar aqui quietinho para não ser uma má companhia, ok?” Ser sincero quando não se está legal pode unir. Não é preciso magoar quem espera um sorriso ou atenção. Quem ama alguém deve conservar o humor para que o humor salve o amor. Tem que se esforçar! E se não funcionar? Aumentar a dose!

 Até a próxima!


Se você gostou e sente que esse texto pode ajudar alguém, fique à vontade e compartilhe-o. =)


2 comentários:

  1. Verdade amiga! Deve ser horrível conviver com uma pessoa mal humorada.
    Ótimo post. Big beijo

    ResponderExcluir
  2. Ótimo para refletirmos!
    O mal humor com certeza não é uma boa opicão para manter o amor aceso.. Quando eu estou super irritada, o mal humor toma conta, isso contagia o meu esposo tbm e fica aquele clima chato.. Não é bom! :/ Adorei ler o seu texto mais uma vez! Muito bem escrito. Beijos

    ResponderExcluir

 
© Café da Alice - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thay Atallah.
Tecnologia do Blogger.