terça-feira, 11 de agosto de 2015

Viagem a Santiago no Chile. Chi Chi Chi Le Le Le Inesquecível.

Olá Conectados!

Tudo bem por aí!?

 Aqui, tudo bem, graças a Deus que é bom e maravilhoso. Hoje, vim falar da minha viagem a Santiago no Chile, assunto que será novamente assunto em muitos posts. Já que as dúvidas  relacionadas a viagens sempre são muitas, e eu sei que os blogs ajudam muito a quem quer viajar.






  Deixa eu contar para vocês que Santiago é apaixonante. Apaixonante por tudo. A cidade é linda, a arquitetura, os parques, praças, a historia e de plus, a vista da Cordilheira dos Andes. Claro que se você, como eu, viajar para lá no inverno ganha um super brinde que é: Ver a Cordilheira com Neve.  Aquela vista é viciante. Eu voltei olhando para os morros e procurando a pontinha nevada, rsss



 Bom, brincadeiras a parte, Santiago é demais. A cidade já resistiu bravamente a Terremotos e mesmo assim exibe seus lindos edifícios altos (arranha-céus), cheios de vidro. E a arte, gente? Ela está presente em todo lugar.  Eu sonhava em ir ao Chile, desde meus 16 anos, quando li o primeiro livro da Isabel Allende. Depois, na escola fui obrigada a ler Pablo Neruda. Que bela obrigação essa, só saberia eu mais tarde. 



 Porém, não imaginava que encontraria tantos tipos de  arte e em tantos lugares da capital. Por isso, já te digo: Não deixe de observar tudo. Ela está ali em pinturas, grafites, na arquitetura, nos músicos e dançarinos de rua, nas esculturas, museus e na rotina da cidade.  Sobre os prédios históricos, não deixe de visitar a Catedral de Santiago, independente de sua religião. Você ficará maravilhado. É incrivelmente linda a riqueza de detalhes. 

 Mesmo nas estações de metrô, você desce e dá de cara com arte. E sobre o metrô, funciona muito bem. Se eu puder te dar um conselho sobre onde se hospedar, (confie em mim) a dica mais importante é: Fique ao lado de alguma estação de metrô. Mesmo que você nunca tenha andado de metrô, lá você vai usar e se sentirá muito seguro. É rápido, muito mais barato e mais confiável que muitos táxis. Supere fácil de aprender a usar. Agora, se tiver que indicar um bairro, te indicarei a Providência. É charmoso, próximo do centro e muito bem estruturado para aquele dia que você quer somente passear a pé. Eu nunca gosto de ficar no centro das cidades grandes, tenho a impressão de que a noite eles se transformam, #medo. Prefiro os bairros simpáticos e de fácil acesso, obviamente.



 Dessa forma, uma coisa me lembra de outra. Já que falei de táxi, não posso deixar de mencionar aqui o Esteban. É um cara genial que fez nosso transfer do aerporto x hotel e depois nos levou à Concha Y Toro (Vinícola mais importante da América). Se você precisar de um guia e transfer contrate o Esteban, um chileno que fala português, carismático, confiável e muito conhecedor da historia de Santiago. Ah, e o melhor, ele usa facebook e whats app. Então, dá para combinar tudo antecipadamente com ele.  Vou deixar o whats app dele aqui, para vocês: +56 942365790

 Sobre valores: Nós checamos antes o preço de contratar Transvip ou Delfos no aeroporto, sairia praticamente idêntico e não teríamos (na faixa, rs) aquele tour de apresentação à cidade. O Esteban foi explicando a cidade até o apartamento.



  Brasileiros do meu coração,  sempre achei que nós fossemos o povo mais alegre do mundo. Mas, o Chile me surpreendeu. O povo Chileno é baita animado. Santiago está super preparada para receber o turista. É impressionante! Eu não sei se a Copa América teve algo a ver com isso ou se sempre foi assim.


 Mas, o fato é que os Chilenos tem uma química com o Brasileiro. Eles são simpáticos, dão informações, tentam ajudar, sorriem, são solícitos e são muito divertidos. Os homens são super respeitadores, bem diferente do Brasileiro e do Argentino. Você não ouve aquele assovio de fiu fiu,  cantadas descaradas, quando as mulheres estão passando na rua. (Mulheres me entenderão) Pelo menos, não notei isso nas áreas onde frequentei. E sobre essa animação: eu nunca havia visto nada comparado ao bairro Bella Vista. Um bairro muito gastronômico e boêmio. Não sei se a proximidade com as universidades o torna mais animado ou se são os turistas.



 Nesse bairro está o Cerro San Cristobal, que é o maior ponto turístico da cidade. Um cerro bem alto e com mirante bem estruturado, onde é possível ter a vista de toda a cidade e da linda Cordilheira dos Andes. Você pode subir a pé (7 km), de táxi e de funicular, uma especie de trenzinho. Esse, é o modo mais turístico e legal, em minha humilde opinião. E bem próximo do cerro, quase ao lado, está a Casa Museu de Pablo Neruda, La Chascona.  Na verdade, a casa de sua amante que depois se tornou esposa. Segundo palavras do dono do apartamento que locamos em Santiago: "Ele era bem Chileno, esse Neruda!" =D




 Ainda sobre o Bella Vista, o bairro é super legal à tarde e incrivelmente bacana à noite. São muitas opções de bares e restaurantes. E o que me surpreendeu foi ver crianças, idosos, jovens, ou seja, publico de todas as idades caminhando ou sentados em mesas nas calçadas. Aqui está obviamente o Patio Bella Vista, point dos turistas. O Patio está sempre movimentado, pois oferece muitas opções de lugares para comer, comprar, um horário bem estendido e uma arquitetura toda diferenciada. Uma espécie de praça de alimentação a céu aberto. Saindo do Patio encontramos o famoso restaurante Água Para Chocolate, inspirado no livro de mesmo nome.



 Eu disse que eram muitas informações. Imagine que estou resumindo aqui somente o meu primeiro dia de viagem. Uma espécie de resumo do resumo do resumo. Um detalhe que merece um post próprio e que o terá, muito em breve, é sobre dinheiro. Tanto no Brasil como em Santiago a cotação do Peso Chileno estava bem ruim pra gente. Mas, lá ainda era um pouco melhor. Eu não levei dinheiro em espécie. Usei o cartão pré pago conta super . Você o faz pela internet em www.contasuper.com.br e é super legal. O câmbio já com o iof foi o melhor de todos que achamos, quase 20% a mais que os outros. E na função débito não tem nenhuma taxa. Só fizemos 2 saques durante a viagem, o resto foi tudo pago no débito. No saque tem uma taxa de R$7,00 a R$14,00. Depende da máquina sacada. É possível sacar em qualquer caixa eletrônico da rede Cirrus, inclusive no Banco do Chile; e até na estação de metrô. Super recomendo, essa dica é valiosa. Pois, significou uma economia de quase 20% nos gastos. 

 Contudo, em Santiago, tentei gravar o máximo possível de coisas pelo meu cleular. Hoje, postei no youtube o primeiro vlog da viagem. Depois eu voltarei para contar mais coisas aqui no blog e subirei mais vídeos pro youtube.  Espero que isso te ajude, de alguma forma, no planejamento de sua viagem. Ah, e se você tiver alguma dúvida pode me perguntar que terei super prazer em ajudar. Deixarei aqui o link do vídeo e espero que você goste.


Beijosssss!!


Posts Relacionados:




2 comentários:

  1. Entrei em contato agora a pouco com Esteban.
    No aguardo de uma resposta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucia, que legal! Certamente irá adorá-lo. Um homem gentil, simpático, confiável e muito conhecedor do Chile. Depois me conta sobre a viagem! Beijos

      Excluir

 
© Histórias de uma Coffebooklover - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thay Atallah.
Tecnologia do Blogger.